1 day delivery from 15 local warehouses to all US regions, Canada, UK, Germany, Italy, France, all other EU countries, Dubai, Brazil, Japan, South Korea, Australia & NZ.
Talk to our chatbot Clawdia for instant answers or email us support@fipmed.co for replies within 2 hours.

PIF em gatos: 10 coisas a fazer imediatamente após o diagnóstico de PIF no seu felino

cat fip

Pode ser enervante se acabou de descobrir que o seu gato tem PIF. Se é esse o seu caso, nós compreendemos, mas estamos aqui para o ajudar. Se o seu gato foi diagnosticado com PIF felina, eis 10 coisas que pode fazer.

1. Procurar aconselhamento veterinário especializado em Cat FIP

Para os donos de gatos, o diagnóstico de PIF pode ser uma perspetiva assustadora. Embora esta doença seja complexa e grave, uma intervenção atempada e cuidados especializados podem fazer toda a diferença para o bem-estar do seu animal de estimação.

O seu veterinário poderá informá-lo sobre a melhor forma de garantir que o seu gato tem as melhores hipóteses de sobreviver. Mesmo com um tratamento adequado, há muitas coisas que pode fazer para melhorar as hipóteses de sobrevivência do seu gato.

Alguns gatos não terão problemas em ir para casa consigo, enquanto os casos mais graves poderão ter de ser hospitalizados para receberem melhores cuidados médicos.

2. Iniciar o tratamento com GS441524

O tratamento da Peritonite Infecciosa Felina (PIF) com GS441524 é o primeiro passo para ajudar os gatos a sobreviver. GS441524, é um tratamento antiviral oral para a PIF que se revelou altamente eficaz e notavelmente seguro para gatos que lutam contra esta doença grave.

Quando iniciado atempadamente e seguindo as instruções do médico, o GS 441524 pode salvar vidas; os estudos revelam uma taxa de sucesso de 90%.

Os potenciais efeitos adversos são relativamente baixos, mas incluem alterações do apetite, da preferência alimentar e do comportamento, bem como episódios temporários de diarreia ou vómitos durante os primeiros dias de administração – todos facilmente controláveis sob a supervisão atenta de um veterinário.

O tratamento prioritário com corticosteróides auto-injectáveis deve acompanhar o início da terapia oral a longo prazo em casos graves, mantendo um apoio sintomático ótimo, como o fornecimento de apoio nutricional e protocolos de higiene cuidadosos, o que ajudará significativamente a recuperação do seu gato.

3. Gerir os sintomas e aliviar a dor do gato com PIF

Quando um felino é diagnosticado com PIF, é importante tomar medidas imediatas para gerir os seus sintomas e aliviar a sua dor. A PIF é uma doença complexa que pode causar desconforto aos gatos, pelo que a gestão dos sintomas para gerir a doença crónica é essencial.

A utilização de analgésicos é por vezes necessária se o seu gato parecer desconfortável e com dores. Os antibióticos também podem ajudar com alguma infeção bacteriana que possa ser causada pela doença FIP. Em alguns casos, quando o gato tem uma PIF avançada, podem ser necessários esteróides para reduzir a inflamação no início. No entanto, os esteróides têm de ser imediatamente suspensos quando o gato estabilizar, uma vez que interferem com o tratamento antiviral da PIF.

4. Hidratação com fluidos subcutâneos

A Peritonite Infecciosa Felina (PIF) é uma doença grave e frequentemente fatal. Como parte do plano de tratamento, pode ser recomendada a administração de fluidos subcutâneos para ajudar a gerir a condição de um gato com PIF.

Isto implica o fornecimento de fluidos sob a pele para uma absorção lenta na corrente sanguínea e no corpo, de modo a garantir níveis de hidratação adequados e melhorar a saúde geral. A fluidoterapia caseira pode ser benéfica, uma vez que ajuda os gatos com condições médicas que requerem fluidos suplementares – como a PIF felina – a manterem-se hidratados sem terem de ir frequentemente ao veterinário para tratamentos intravenosos.

As administrações subcutâneas de fluidos (SQFs) devem ser administradas de forma contínua; no entanto, existem algumas directrizes sobre a frequência com que devem ocorrer. A maioria dos gatos necessita de SQF de rotina entre uma vez por semana e diariamente, dependendo do seu estado de saúde geral, do nível atual de desidratação e de outros factores determinados pelo seu veterinário ou pela equipa de cuidados veterinários.

Para determinar se os SQF são ou não necessários e com que frequência devem ser realizados, discuta este assunto diretamente com o seu veterinário para uma orientação adequada antes de iniciar as sessões de tratamento em casa.

Se for feita corretamente, utilizando agulhas e equipamento esterilizados, de acordo com as instruções do seu veterinário, a administração de SQFs em casa pode proporcionar o alívio necessário, evitando o stress desnecessário durante os check-ups regulares no consultório do veterinário devido a doenças ocasionais como a PIF em gatos e gatinhos.

 

5. Apoio nutricional para a PIF felina

O apoio nutricional é uma parte essencial do controlo da PIF nos gatos. Os nutrientes desempenham um papel vital no apoio à sua saúde geral e ajudam a combater o vírus que causa a doença.

No que diz respeito à PIF felina, existem necessidades alimentares específicas que devem ser tidas em conta para o bem-estar do seu gato. De facto, alguns gatos desenvolveram a PIF devido a uma má alimentação que contribui para um sistema imunitário fraco.

O sistema imunitário desempenha um papel importante no controlo e combate à infeção causada pela PIF, pelo que uma nutrição adequada é fundamental para promover uma saúde óptima e minimizar a recorrência ou surtos desta doença complexa.

Mude a dieta do seu gato para uma dieta de carne crua, bem como fornecer caldo de osso para mais líquido. Pode também tomar um suplemento com estas vitaminas:

Ácidos gordos ómega 3: Os ácidos gordos ómega 3, que são comuns nos suplementos de óleo de peixe, podem ajudar a reduzir a inflamação e melhorar a saúde geral do seu gato. Podem ajudar nos problemas relacionados com a PIF, como a acumulação de fluidos e a inflamação.

Antioxidantes: como as vitaminas C e E, podem ajudar a reduzir o stress oxidativo e a apoiar o sistema imunitário. O seu veterinário pode aconselhá-lo sobre a melhor dose para o seu gato.

Probióticos: Os probióticos podem ajudar a saúde gastrointestinal e o sistema imunológico do seu gato. Como a PIF pode ter um impacto no trato digestivo, os probióticos podem ser úteis.

Apoio ao sistema imunitário: Em cooperação com o seu veterinário, considere suplementos para o sistema imunitário, como beta-glucanos ou imunomoduladores.

Vitaminas B: As vitaminas B, especialmente a B-12, são benéficas para a saúde e o bem-estar geral. Em casos raros, pode ser aconselhado um suplemento de vitaminas do complexo B.

EVITAR L-Lisina: A lisina é um aminoácido que pode ajudar nos sintomas respiratórios superiores causados pela PIF, mas pode não tratar diretamente a doença. Além disso, impede o tratamento da PIF.

 

6. Criar um ambiente confortável e limpo

Criar e manter um ambiente confortável e limpo para os gatos com PIF é essencial para a sua saúde geral. Um espaço de vida limpo pode ajudar a reduzir os sintomas de desconforto causados pela inflamação e a diminuir a gravidade da imunossupressão associada à PIF.

Uma forma de os donos de gatos criarem este tipo de ambiente é manter as caixas de areia, os bebedouros e os pratos de comida livres de detritos ou sujidade que possam causar mais stress no sistema imunitário enfraquecido do gato.

Além disso, é importante evitar a sobrelotação da casa, uma vez que esta pode contribuir para mais infecções nos gatos. Isto poderia aumentar ainda mais o risco de desenvolver PIF felina ou exacerbar as doenças existentes, como os problemas gastrointestinais ligados à infeção pelo coronavírus.

 

7. Aplicar medidas de higiene rigorosas

Quando um gato é diagnosticado com PIF, os donos devem agir rapidamente para proteger os outros gatos e evitar a propagação da doença. É essencial pôr em prática medidas de higiene rigorosas, incluindo o isolamento do gato infetado, a limpeza e desinfeção do ambiente, a minimização do contacto entre gatos e a lavagem das mãos após o manuseamento de um animal infetado.

O objetivo da aplicação destes protocolos é duplo: em primeiro lugar, reduz o risco ao impedir a transmissão da PIF dentro ou fora do agregado familiar. Em segundo lugar, ajuda a criar um ambiente confortável para os gatos afectados, reduzindo também qualquer desconforto que possam sentir devido a sintomas físicos, como febres ou problemas digestivos.

Todas as superfícies das casas devem ser limpas regularmente com desinfectantes aprovados por profissionais médicos veterinários durante pelo menos 10 minutos por dia para reduzir a contaminação bacteriana causada por gotículas em aerossol produzidas quando os gatos tossem ou espirram.

Além disso, uma boa higiene das mãos – lavagem completa das mãos realizada imediatamente após o contacto com um animal infetado – diminui significativamente o risco de transmissão de pessoa para pessoa.

Os donos de gatos são aconselhados não só a usar luvas quando necessário, mas também a assegurar práticas regulares de lavagem de roupa que ajudem a limitar a exposição. Ao levar a sério cada passo durante as fases de diagnóstico e implementação preconizadas pelos especialistas, os pais dos animais de companhia farão tudo o que estiver ao seu alcance para melhorar a qualidade de vida dos animais que vivem com esta doença.

 

8. Aplicar protocolos de isolamento do FIP para agregados familiares com vários gatos

Quando um gato é diagnosticado com Peritonite Infecciosa Felina (PIF) num agregado familiar com vários gatos, isolar o gato afetado pela PIF dos outros gatos é fundamental para evitar a propagação e proteger os outros gatos. Embora seja difícil evitar completamente que o seu animal de estimação interaja com outros felinos, existem medidas que podem ser tomadas para reduzir significativamente o risco de infeção.

A PIF propaga-se principalmente através do contacto com fezes infectadas em caixas de areia partilhadas ou em superfícies. Quando os gatos se aproximam ou brincam à bruta, podem potencialmente transmitir doenças como a PIF, pelo que a redução destas actividades deve ser uma prioridade máxima para os proprietários cujos gatos tenham sido diagnosticados.

É importante ter também em atenção as tigelas e as camas partilhadas e evitar o contacto direto entre vários gatos sempre que possível. O vírus da febre aftosa propaga-se a partir da matéria fecal, pelo que o ideal é ter caixotes de lixo separados para cada gato. De vez em quando, crie brinquedos divertidos, tábuas de arranhar e esconderijos especificamente para o seu próprio gato, para que ele não fique com ciúmes do que pertence aos outros.

Além disso, se possível, aloje cada animal separadamente – mantê-los em divisões diferentes da casa não só reduz o stress como também mantém as doenças afastadas! A implementação de protocolos de isolamento adequados ajuda a diminuir o risco de transmissão do coronavírus felino a gatos não vacinados ou imunocomprometidos com PIF.

Inclui também o corte de áreas exteriores partilhadas, encontros com tigelas de comida e roupas que possam espalhar germes através da saliva, pelo, etc. Deve também considerar recomendar que todos os gatos saudáveis que vivem no mesmo agregado familiar recebam vacinas contra doenças virais do complexo FIV/FeLV, como a PIF, pelo menos duas vezes por ano.

Se notar quaisquer sinais de doença infecciosa ou se os resultados dos testes derem positivo para FeLV, mantenha estes animais afastados da sua área de quarentena – não só estes vírus podem provocar doenças graves, como a exposição contínua pode introduzir novas infecções num ambiente isolado, o que pode agravar o estado do seu animal mais rapidamente antes do início do tratamento.

 

9. Monitorize o estado do seu gato

É muito importante monitorizar de perto o estado do seu gato e procurar cuidados veterinários imediatos se lhe for diagnosticada PIF. Os sintomas da PIF felina podem variar significativamente de um caso para outro e quaisquer alterações no comportamento ou na saúde do seu gato devem ser imediatamente discutidas com profissionais experientes, como um veterinário.

Os controlos veterinários regulares são fundamentais para o diagnóstico e tratamento precoces do vírus; isto permite estratégias de gestão eficazes, o alívio dos sintomas e o prolongamento da vida do seu animal de estimação.

Se tiver um agregado familiar com vários gatos dentro de casa, onde estes possam entrar em contacto uns com os outros, recomenda-se a aplicação de protocolos de isolamento até que a progressão da doença do gato infetado possa ser monitorizada por um veterinário profissional.

Os sinais de alerta incluem perda drástica de peso, fadiga extrema/letargia, picos de febre, confusão ou desorientação – todos eles requerem atenção médica urgente…

10. Limitar a exposição a outros gatos

Por último, o acesso ao exterior também deve ser limitado, uma vez que os animais selvagens podem ser portadores de doenças que podem pôr em risco o seu gatinho positivo para PIF. Protegê-lo contra esses casos, evitando quaisquer áreas depiladas no exterior onde essas aves e criaturas possam vaguear facilmente, reduziria grandemente as hipóteses de apanhar qualquer outra coisa extra para além do diagnóstico existente.

A redução da interação física, principal responsável pelas taxas de transmissão, ajudará a garantir a máxima segurança na tomada das precauções necessárias ao lidar com a gestão da Peritonite Infecciosa Felina (PIF).

A adoção de medidas de segurança simples, tais como prestar muita atenção às medidas de higiene pessoal e estar atento à exposição a ambientes contaminados, proporcionará uma proteção importante contra a potencial propagação do coronavírus associada a circunstâncias semelhantes, especialmente no caso de agregados familiares com vários gatos, de forma mais drástica – uma prática indispensável puramente apoiada pela investigação médica, uma e outra vez sem falhas, particularmente no contexto desta doença específica.

error: Content is protected
0